Pular para o conteúdo

CONTAR REAFIRMA COMPROMISSOS DOS ASSALARIADOS DA SOJA

  • por

“Os dirigentes dos estados do MT, PR, RS, BA, MS, estão mais fortalecidos para a luta de melhores condições dos trabalhadores da soja”, assim garantiu Gabriel Bezerra, no final do “Seminário de fortalecimento da ação sindical para a promoção dos direitos humanos nas cadeias produtivas”. Durante três dias, a cadeia produtiva da soja, foi amplamente discutida, com apoio técnico de membros da Repórter Brasil, DIEESE e do Consultor da BRAC-consulting, Fábio Beltrame. “Nós precisamos conhecer mais profundamente o setor, que é forte, grande e emprega poucos assalariados e assalariadas. Nossos direitos não podem ser violados por uma cadeia importante como a soja”, disse Gabriel Bezerra, durante o Seminário em Brasília.

O seminário, além de discutir questões de normas técnicas, condições de trabalho e mostrar dados do setor, serviu também para alertar os dirigentes sindicais, que é necessário discutir a questão do uso indiscriminado, por parte dos produtores rurais, de agrotóxicos na produção de soja no Brasil. Os temas de desmatamento e baixa empregabilidade, também foram enfatizados no seminário. No final dos trabalhos realizados em Brasília, os participantes encaminharam também a luta para fortalecer o banimento de veneno na agricultura e o rigor com o uso danoso para a vida dos trabalhadores que tem o contato direto com a aplicação dos produtos tóxicos.

O seminário foi realizado em parceria com a OXFAM Brasil, e os dirigentes sindicais apontaram a todo momento, que os desrespeitos aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, deverão ser expostos aos importadores da soja brasileira, para garantir melhores condições de vida e salários aos assalariados rurais. “Nós vamos, a partir dessas discussões, garantir envolvimentos das Federaçôes e Sindicatos, no monitoramento do setor da soja para garantir melhorar a vida de quem trabalha”, afirma o presidente da CONTAR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *