Pular para o conteúdo

OPERAÇÃO NO EXTREMO SUL DO BRASIL FAZ RESGATE DE TRABALHADORES EM SITUAÇÃO DE ESCRAVO

  • por

Uma operação da PF, Auditores Fiscais do Trabalho e agentes de vigilância em saúde do trabalhador, resgatou um homem de 70 anos, que trabalhava em regime de escravidão, em alojamento precário, sem salário, há pelo menos 12 anos, numa fazenda em Santa Vitória do Palmar-RS – município fica localizado no Extremo Sul do Brasil, faz divisa ao norte com o município de Rio Grande e ao sul com o município do Chuí-RS, ainda, faz fronteira com o Uruguai. O homem resgatado, estava com ferimentos nas pernas e sinais de desnutrição, segundo informações dos agentes que participaram da operação. “Não podemos, e não vamos admitir nenhum trabalhador em situação análoga à escravidão. Não podemos achar isso normal. O movimento sindical luta, combate e vai as últimas instâncias para combater esse famigerado regime de trabalho”, exaltou o presidente da CONTAR, Gabriel Bezerra.

Na operação no Rio Grande do Sul, os agentes e auditores, encontraram também, e resgataram, um trabalhador menor de 18 anos – o que é proibido pela legislação para trabalho rural. Os auditores fiscais do trabalho, constataram que o jovem recebia pelo trabalho R$ 300 reais por mês. Segundo Denilson Aguiar, diretor da FETAR-RS, a fazenda “Dona Silvina”, onde os trabalhadores foram resgatados, fica no distrito de “Canoa Mirim”. A fazenda é de criação de gado. No local havia outros trabalhadores em condições análogas a escravo; alojamentos precários e sem instalações sanitárias adequadas e sem carteira de trabalho assinada. “Estamos apoiando e fortalecendo a ação dos agentes públicos, que atuam na fiscalização do trabalho no campo. A CONTAR e todos as entidades sindicais de assalariados e assalariadas rurais, combatemos fortemente o trabalho precário e queremos acabar, definitivamente, com o trabalho escravo”, ressaltou Gabriel Bezerra.

ESCRAVO NEM PENSAR

A CONTAR é parceira da ONG Repórter Brasil, no projeto “Escravo Nem Pensar”. O ENP é um programa nacional de prevenção ao trabalho escravo, e segundo dados da REPÓRTER BRASIL, já atingiu quase 600 municípios em todo país. A CONTAR tem também a COMISSÃO DE PASTORAL DA TERRA – CPT – como parceiro importante na luta e combate ao trabalho escravo. A entidade também participa da Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo – CONATRAE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *